A avaliação

A GWM decidiu mostrar ao público como ficavam as peças do Haval H6 depois de percorrer 50 mil quilômetros. O objetivo, desde o início, foi comprovar não apenas a durabilidade das peças, como também valorizar o modelo perante a concorrência. Dessa forma, torna-se ainda mais compreensível o custo-benefício do SUV.

A equipe responsável pelo teste rodou com uma unidade do Haval H6 por mais de 12 meses, totalizando 51.886 quilômetros. Vale frisar que diferentes motoristas e estradas fizeram parte dos percursos. Afinal, algumas pessoas possuem modos mais agressivos de conduzir, bem como há vias com obstáculos significativamente maiores. 

Outra característica da testagem tem a ver com a falta de manutenção: peças, óleos e filtros não foram trocados em nenhum momento. Ademais, sempre foi utilizada uma gasolina comum, e o veículo rodou de Norte a Sul do Brasil.

De acordo com Oswaldo Ramos, CCO (Chief Commercial Officer) da GWM Brasil, todo esse processo foi importante para acabar com o mito de que os carros chineses não são bons. “Isso é coisa do passado. Não ficamos atrás de nenhuma marca. Mas vemos várias delas pelo nosso retrovisor”, disse o executivo.


Comprovando a qualidade

Após o período de teste, a montadora convidou vários canais da imprensa automotiva para testemunhar a qualidade do Haval H6. Conforme a equipe da Uol, as peças mecânicas, os componentes da suspensão e o acabamento sofreram desgastes mínimos, especialmente mediante as condições de uso e manutenção aos quais o veículo foi submetido. 

O desmonte aconteceu numa das concessionárias da marca em São Paulo, mostrando detalhadamente o estado de cada item. 


Versão avaliada

O Haval H6 HEV foi o escolhido para o teste. Inclusive, o seu motor a combustão é consideravelmente acionado durante os trajetos. Logo, ao invés de evitar problemas com o público, escolhendo a versão PHEV, que exige menos do propulsor convencional, a montadora fez questão de ir ao extremo. Inegavelmente, isso demonstra uma confiança genuína em seus carros.

Só no mês de setembro, o Haval H6 HEV registrou 1.307 emplacamentos, sendo boa parte dos motoristas atraída pelo conjunto composto por um motor elétrico e outro 1.5 turbo a combustão, gerando 243 cavalos e 54 kgfm (quilograma-força) de torque no eixo dianteiro. 


Principais resultados

Em relação ao motor, um dos principais destaques foi a ausência de marca de carbonização. Foram outros pontos detectados:


▪️Os amortecedores dianteiros não tiveram vazamentos ou folgas nas hastes

▪️Os discos ventilados dianteiros e os sólidos traseiros estavam praticamente sem desgaste

▪️O virabrequim estava em bom estado, sem sinais nos colos. As bronzinas de mancal, intactas, e as bronzinas de biela tinham desgaste mínimo


Veja mais detalhes do Haval H6 HEV e agende um test drive em uma das concessionárias da Jorlan-ev. Será um prazer te receber e apresentar o modelo híbrido mais aclamado no Brasil!


Referências:

MobiAuto

INSIDEEVs

AutoPapo

Jornal do Carro